Vendas aumentam cerca de 10% na RMC entre julho e agosto, mas ainda são menores do que em 2019

O e-commerce continua em expansão. Os setores de Drogarias e Farmácias, Supermercados e Material de Construção continuam puxando as vendas positivas.  Informações são do Boa Vista SCPC.

POR: Ateliê da Notícia

O comércio da RMC – Região Metropolitana de Campinas registrou uma elevação de 10,35%, no faturamento quando comparado a julho de 2020, embora ainda apresente uma redução de 12,35% em relação a agosto de 2019. De acordo com os dados do Boa Vista SCPC, analisados pelo economista Laerte Martins, diretor da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), os destaques de agosto foram a expansão de 10,35% no volume de vendas e a redução da inadimplência em 44,70%. Especificamente quanto ao Dia dos Pais, o faturamento foi 42% em relação a mesma data do ano passado.

As vendas digitais (e-commerce), acopladas à prática do delivery, expandiram em 63,5% em relação ao ano passado, em Campinas e Região. Já nas vendas físicas da RMC, o faturamento de agosto de 2020 foi de R$ 2.499,3 bilhões, o que representa 87,65% do registrado no mesmo mês de 2019, que foi de R$ 2.851,4 bilhões (queda de 12,35%). Avaliando o período acumulado de janeiro a agosto de 2020, as vendas na RMC representaram uma perda no faturamento do comércio de R$ 4.040 bilhões (18,68% a menos) em relação ao mesmo período de 2019.

Campinas

Apenas considerando Campinas, as vendas físicas registraram faturamento de R$ 1.049,7 milhões em agosto de 2020, que representam cerca de 87,65% do faturamento do mesmo mês de 2019, que foi de R$ 1.197,6 milhões. O percentual também foi de 12,35% negativos em relação ao ano anterior, o mesmo registrado na RMC. Os setores que tiveram crescimento nas vendas foram as Drogarias e Farmácias (3,13%) e os Supermercados (17,50%,) na categoria Bens Não Duráveis e Material de Construção (34,06%), em Bens Duráveis.

No entanto, tiveram as vendas reduzidas os setores de Vestuário (-25,15%), Turismo e Transportes (-71,20%) e Bares e Restaurantes (-51,20%). Esses dois últimos setores estção na categoria de Vendas de Serviços. Em Campinas a perda no faturamento chega a R$ 1.667,3 bilhões (-18,68%) em relação a agosto de 2019. A previsão para setembro de 2020 é a de que o comércio ainda sofra algumas perdas, mas menores do que nas fases anteriores.