Renata Banhara participa de ação solidária que levou pizzas para Mulheres Vítimas de Violência

POR: Renato Cipriano

A atriz e apresentadora Renata Banhara (45 anos), a qual vem atuando engajadamente como uma ativista em prol da defesa das mulheres, participou na tarde do último sábado (04), da ação solidária que foi realizada dentro da unidade do CAE – Centro de Acolhimento Especializado para Mulheres Vítimas de Violência, que fica situado no bairro de Santo Amaro, na zona sul da capital paulistana.

O CAE que é conveniado com a Prefeitura, realiza um trabalho importantíssimo por profissionais voluntariados, que presta cuidados e proteção às mulheres que sofreram violência.

Banhara que já atua como voluntária no projeto “Sentinela do Bem”, o qual dá apoio às mulheres afetadas pela agressão, com o acolhimento humanizado nas Delegacias e Delegacias da Mulher, também ajuda o CAE, que atualmente atende 80 pessoas que sofreram violência, mas que possui capacidade para atender até 110 mulheres com filhos, dando todo o suporte necessário, que vai desde a moradia por tempo indeterminado, seis refeições, materiais de higiene, atenção total 24 horas, além da equipe de segurança no local.

Dentro do CAE, uma vez por mês é comemorado os aniversariantes do mês, e sendo assim, Renata fechou parceria com a consagrada Pizzaria Chef Morumbi, situada na zona sul, onde lançaram uma campanha que a cada 10 pizzas que as pessoas comprassem, uma pizza seria doada para a ação solidária do CAE, e após cumprirem a meta estipulada, na tarde deste sábado, os proprietários da pizzaria estiveram juntamente com a Renata, onde fizeram a alegria de todos os moradores do Centro de Acolhimento.

“Foi um momento muito mágico e emocionante ao mesmo tempo, poder proporcionar a alegria para estas pessoas, onde com muito amor levamos para estas mulheres e seus filhos, saborosas pizzas, onde para nós é algo muito simples, para elas que estão no lar acolhidas, é algo muito valioso. Sem dizer que lá muitas crianças nunca haviam comido pizza e possivelmente se a gente não tivesse levado, talvez não viriam tão cedo, devido ao momento de dificuldade que enfrentamos”, declarou Banhara.

Neste momento devido aos 440% de aumento da violência contra mulher e lembrando que violência contra mulher, é violência contra família… Lá nós temos desde adolescentes, recém-nascidos, idosas e todas as idades em geral, pois é muito grande quando se fala do CAE, pois se fala de uma representatividade muito grande da família, onde temos mulheres do brasil todo instalado por lá e que não sabem quando vão voltar para suas casas, isso é, as que têm suas casas para voltarem,  pois são crimes de violência sexual contra crianças, são crimes de violência sexual contra idosa, entre outros casos.  É muito grande as variáveis e todas que envolvem a violência contra mulher, e isso que a gente tá falando de mulheres que estão aqui na capital de São Paulo, pois o CAE é uma das maiores Casas do Brasil, onde elas estão nessa situação de isolamento total de vida.

“Reforço que o ato realizado neste sábado, não trata-se de um evento e sim de uma ação solidária, onde sou voluntária do CAE e gerei esta ação planejada, tomando os devidos cuidados de segurança e todos os requisitos solicitados pela vigilância sanitária e a área da saúde, neste momento de combate ao covid-19, para podermos levar um mínimo de conforto e carinho para essas mulheres que estão alocadas no CAE”, completou Renata.

Banhara ainda disse: “O próximo passo que irei fazer, é um mutirão para tirar os documentos delas e assim para que elas possam ter acesso ao menos ao auxílio emergencial, pois muitas delas não possuem nenhum documento e estas pessoas que são as que mais precisam, devido a ausência dos documentos não conseguiram sequer darem entrada para requerer o auxílio, e agora eu vou fazer uma força-tarefa para conseguir tirar o documento dessas mulheres”.

Crédito das Fotos: Renato Cipriano – Divulgação