Pandemia e Quarentena:  não é hora de você mudar?

De repente somos surpreendidos por uma pandemia, nossos negócios pararam ou mudaram de formato, o mercado retraiu, as negociações pararam, mas as contas chegaram e agora?

Um amigo microempresário entrou em contato comigo preocupado com a situação de seu negócio e ouvi com frequência as palavras desespero, falência, insegurança e necessidades que foram usadas por ele durante o nosso diálogo. Mas seria essa a solução do problema?  Desesperar jamais! Ser estrategista sim e nunca usar palavras negativas, pratico isso.

O ideal é sempre termos reservas financeiras para situações emergenciais, mas a maioria das pessoas nunca se preocupam com isso. Mas o que fazer numa situação como essa?

DÍVIDAS E CONTAS – Se tiver débitos pendentes, procure fazer acordos que possam cumprir e não se envergonhe por isso. Lembre-se que muitas pessoas estão passando pela mesma situação. Procure fazer acordos que você possa cumprir futuramente e estenda por muito tempo os pagamentos até as coisas melhorarem.  Só para você ter ideia, a empresa de energia ENEL  tem facilitado a vida da população parcelando em até 12 vezes sem juros no cartão de crédito, as suas despesas de consumo de energia elétrica.

Então aproveite para economizar também, nada de banhos longos, passar roupas diariamente e uso de eletrônicos e eletrodomésticos que tem alto consumo de energia.

Em caso de cheque especial e cartão de crédito que tem uma taxa de juros abusiva, não acumule valores, procure seu gerente e negocie imediatamente.

ALUGUEL –  Se você trabalhar ou residir em um imóvel alugado, procure o proprietário e renegocie valores enquanto estivermos passando por essa situação. Alguns proprietários tem oferecido descontos superiores a 50%.

EMPRÉSTIMOS – analise a necessidade de empréstimos nesse momento. Avalie taxas de juros e prazos. Fale com o SEBRAE e com o Banco do Povo e veja sua conta jurídica se existe crédito para capital de giro, pode ajudar nesse momento.

Organizou a vida financeira? Agora é o momento de você pensar no seu negócio.  Lembre-se que o mercado mudou e até a forma de trabalhar mudou, então esse é o momento de você se reinventar e mudar  formas de negociação sempre de olho no mercado consumidor e no seu crescimento profissional.

Quem não se reinventa corre o risco de morrer afogado na onda da mesmice, mude sua forma de se relacionar com sua equipe e com o mercado para não ter o risco de sair dele. Mas como você deve fazer isso?  Inicialmente, se atualizando, fazendo cursos ligados à sua área (muitos são gratuitos), analisando a concorrência e focando sempre em cima das prioridades. Aproveite o tempo de quarentena para se reinventar profissionalmente. Assista lives com temas interessantes.

Quem faz a mesma coisa sempre, já não tem a garantia de ter os mesmos resultados. Mas com todas essas mudanças do comportamento do consumidor, a probabilidade de seu negócio desaparecer em pouco tempo é grande.  Então é hora de mudar.

Usar a empatia é fundamental para você entender o novo comportamento do cliente. Coloque-se no lugar dele e sinta o que ele procura e de que forma você poderá atendê-lo e encantá-lo.

Não tenha medo de errar, errar faz parte do processo. Se errar, analise e recomece sempre com foco em resultados positivos. Lembre-se que o ser humano tem uma habilidade incrível que é a capacidade de evolução constante e isso independe da idade ou classe social.

Pode parecer difícil, mas quando você muda, tudo se transforma, essa é a realidade.

Isso me faz lembrar um momento da minha carreira: durante 15 anos trabalhei no maior jornal do país, entrava as 9h da manhã, saia tarde, usava gravata e atendia clientes dos mais diversos segmentos, aprendi muito lá. Deixei a gravata, troquei pela camiseta e tênis, estudei o mercado, mudei de ramo e rejuvenesci 15 anos. A embalagem mudou, mas o conteúdo ficou mais rico. Descobri que somos capazes de fazer tudo e com excelência.

Ser otimista ajuda a vencer qualquer crise e se por acaso você não atingir os resultados e quase bater a cara na lona, recomece com mais força e com mais projetos, melhor elaborados, analisados e assim você crescerá e saberá valorizar todos os seus passos. Acredite em você!

Mas como se reinventar? Sair da zona de conforto e arriscar-se gera aqueles tracionais tremores e frios na barriga que nos perseguem, mas quando chega a vitória a sensação é inenarrável.

Uma vez conversei com o palestrante e empresário Geraldo Rufino, que foi um catador de recicláveis e hoje fatura alto com sua empresa,  palestras e ele me disse o seguinte: “já quebrei algumas vezes mas soube me reinventar”.

Evoluir , organizar-se, analisar cenários e usar a empatia sempre. Não tenha medo de se reconstruir.  Utilize as situações negativas do passado como ferramentas para você se atualizar e rever processos.

Tudo vai passar e você sairá fortalecido dessa crise,  Não se vitimize, mude!

Sigam nas redes sociais:

Facebook/ Linkedin Roberto Rodrigues 

Instagram: @robertoassessor