Mercado aquecido para profissionais de engenharia elétrica

Novas alternativas para redução no consumo de energia aumentam demanda por mão de obra capacitada

Outubro é o Mês do Eletricista.  A data homenageia o profissional técnico responsável pela execução, manutenção corretiva e preventiva das instalações elétricas prediais e industriais, garantindo a segurança e o perfeito funcionamento dos sistemas e equipamentos elétricos. A difusão de novas alternativas para redução do consumo de energia está demandando mão de obra qualificada e capacitada, para, por exemplo, atuar na área de produção de energia elétrica através de sistemas fotovoltaicos, aquecendo o mercado e dando chances para quem busca um emprego.

A profissão de eletricista foi regulamentada no Brasil por meio da Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 e estima-se que, atualmente, o ganho inicial (média mensal) é de R$ 3 mil mensais. O início da carreira é pautado pela complementação da formação e pela definição da área em que o engenheiro eletricista pretende atuar: telecomunicações, controle, automação, computação, eletrônica, energia e etc. O Centro de Capacitação em Tecnologia (CCT) do Grupo Loja Elétrica, por exemplo, enxerga o potencial desse mercado e oferece cursos de capacitação em Elétrica e Novas Tecnologias para quem já é engenheiro e para pessoas que ainda não tem conhecimento na área.

Um dos cursos ofertados é o de Dimensionamentos e Instalações de Sistemas Fotovoltaicos que tem como objetivo ensinar conceitos fundamentais de energia solar e processos usuais de geração fotovoltaica, além de normas de instalações e aceitação. “Procuramos capacitar os alunos para que saibam projetar e instalar sistemas fotovoltaicos autônomos de emergência, bombeamento e conectados à rede integrada em edificações. Uma área muito promissora e que está procurando bons profissionais”, conta o supervisor do CCT, João Carlos Lima.

A expectativa com a utilização de energia solar é de uma redução de até 90% na conta de energia elétrica. O consultor técnico do Grupo, Herbert Abreu, comenta que esse tipo de energia, além de econômica, é limpa e renovável. “Sistemas solares em lojas e residências vem se expandido no Brasil, país com enorme potencialidade para energia solar. E esse potencial pode ser ainda bem mais explorado, considerando o tamanho da nossa área e a incidência dos raios solares”, explica.

Sobre o CCT

O Centro de Capacitação em Tecnologia surgiu em 2001, quando a Loja Elétrica decidiu estender seu programa interno de treinamento de funcionários para o público em geral, especialmente profissionais da área elétrica e pessoas interessadas em aprender sobre eletricidade. Desde então, mais de 10 mil alunos já passaram pelos cursos, iniciando nova carreira no mercado de instalações elétricas ou se aperfeiçoando em novas tecnologias.

Atualmente, são ofertados 17 cursos, tanto em temáticas introdutórias como em qualificação específica para determinada atividade. Em 2017, cerca de 500 alunos foram capacitados pelo CCT.

 

Deixe uma resposta

CAPTCHA