Facebook está usando seus parceiros de checagem de fatos também no Instagram

O recurso começa a ser aplicado nessa semana e irá limitar o compartilhamento de links, fotos e memes falsos

POR: Luciana Tavares 

A partir desta semana, o Facebook começará um teste para verificar as postagens do Instagram atrás das chamadas fake news (ou notícias falsas, se preferir). Agora, o sistema estará presente para a checagem de fatos, fotos e até memes publicados na rede social em questão. Os parceiros de verificação do Facebook, como Factcheck.org e agências de notícias tradicionais como a Associated Press, já usam esse recurso para identificar informações erradas no próprio “Face”.

O programa foi lançado em 2016 para reduzir a disseminação de desinformação, e agora será ampliado para o Instagram. Quando um dos parceiros de checagem de fatos do Facebook – que inclui agora 52 organizações em mais de 30 países – classifica um link, imagem ou vídeo como falso, seu alcance futuro no Feed de notícias é reduzido e os usuários são avisados se tentarem compartilhá-lo.

“Nossa abordagem à desinformação é a mesma do Facebook – quando encontramos informações incorretas, em vez de removê-las, reduziremos sua distribuição”, disse Stephanie Otway, porta-voz do Instagram, em entrevista por telefone. “Podemos usar a tecnologia de reconhecimento de imagens para encontrar o mesmo conteúdo no Instagram e realizar ações automáticas”.

Em particular, as postagens sinalizadas deixarão de aparecer na guia “Explorar” do Instagram ou em páginas de resultados de hashtags. As postagens sinalizadas, no entanto, ainda aparecerão se você seguir a conta do Instagram diretamente. Então a plataforma estará limitando seu alcance em vez de censurar o conteúdo. O serviço também está testando recursos adicionais, como pop-ups, semelhantes as que o Youtube exibe como um alerta.

Alguns críticos questionaram o uso semelhante do sistema do Facebook para o Instagram, uma vez que as redes funcionam de formas diferentes. “Os formatos e meios de viralidade não são os mesmos, e o Instagram não se presta muito menos ao conteúdo de notícias, já que os hiperlinks não funcionam em legendas ou comentários”, disse Aaron Sharockman, diretor executivo da PolitiFact. Resta ver como isso irá funcionar na prática.

Via: The Verge

Deixe uma resposta

CAPTCHA