Quer se dar bem em marketing digital e pessoal? O expert Roberto Ferreres dá dicas preciosas

Marketing Pessoal e Digital aumentam a lucratividade nos negócios.

POR: Roberto Rodrigues

A realização e o sucesso de um profissional na era digital pode ser conquistada através de diferentes estratégias de marketing.

Quando se pensa nessa técnica, geralmente se imagina apenas o mundo corporativo, mas existe outro campo de atuação com muitas oportunidades também, o Marketing Pessoal ou Gestão de Carreira.

Quando se fala de Marketing Empresarial, primeiro se pensa voltar a atenção de todos os departamentos de uma empresa para trabalhar juntos pelo objetivo comum da satisfação do cliente e criar um plano de negócios.

Porém, o que fazer quando o marketing é voltado para a imagem de uma pessoa? 

Para entender o marketing pessoal é preciso compreender primeiro como são analisadas as pessoas nas mídias sociais, cinemas, novelas, rádios, discurso públicos e eventos. Para isso, é importante comparar as análises pessoais com as de clientes, colegas de profissão, amigos, familiares, entre outros, buscando fundamentar e compreender como as pessoas avaliam o seu redor.

É relevante perceber que essas avaliações são realizadas racional e irracionalmente, podendo ser julgamentos práticos – relacionados à razão e a um embasamento concreto sobre o motivo de algo agradar ou não – ou julgamentos sensíveis – relacionados espontaneamente a algum julgamento pessoal como afinidade e pontos de vista. Por exemplo, você decide não assistir a um vídeo do Youtube porque a qualidade da gravação está ruim e não é possível compreender bem a mensagem, esse é um julgamento racional. Mas se você decide não assistir ao vídeo porque não se interessa pelo tema, esse já é um julgamento sensível.

Sobre uma empresa, geralmente o julgamento que é feito é mais racional e prático.

O que o cliente avalia é o preço, localização, organização, limpeza, ambientes, burocracia, renome da marca, opções da concorrência, agilidade.

Já sobre personalidades públicas, a avaliação é, em um primeiro momento, sensível, ocorrendo através do carisma, boa aparência, dicção, simpatia, expressão corporal.

Também, outras percepções ligadas a pré- julgamentos pessoais do cliente são: posicionamento político, relacionamentos, ciclo social, relação com família, opinião sobre esportes, entre outros. Posteriormente, se for o caso, há uma análise mais racional e prática do histórico profissional, pessoal e da qualidade dos serviços que podem ser prestados para o cliente.

Como diz o velho ditado “a primeira impressão é a que fica” e podem acreditar: é real. Mas isso não quer dizer que essa impressão não pode ser alterada.

O marketing pessoal é utilizado em todos os momentos de nossas vidas, precisamos sempre passar (nesse caso, vender) a nossa melhor imagem e é ele que ajuda a vender e promover o melhor produto: você. 

O objetivo de marketing pessoal é a promoção pessoal, ou seja, orientar as pessoas em como devem fazer para se destacar, ser admirado e alcançar o sucesso, através de suas qualidades, habilidades e competências. Com o mundo competitivo em que vivemos ganhar destaque na sua área profissional, saber ouvir, se vestir adequadamente e aprender a se portar em locais e situações são fundamentais para a formação de sua imagem.

Também, a resiliência e inteligência emocional são extremamente importantes para saber trabalhar em equipe, administrar conflitos, defender boas causas, apresentar boa performance, ser otimista, saber se relacionar com diferenças, transmitir confiança, ter bom humor, ser paciente, demonstrar interesse, ter iniciativa, manter-se motivado, atuar sempre com ética e surpreender e cativar seus clientes – características comuns a profissionais que sabem utilizar o marketing pessoal a seu favor e fazem a diferença. Além disso, é preciso saber perceber em quais situações seu comportamento deve ser alterado, já que nada em excesso deve ser praticado e atitudes podem prejudicar a sua trajetória de sucesso e na construção da sua imagem.

Tendo isso em vista, é interessante observar que são pessoas com esses perfis e características acima citadas que geralmente são promovidas em seus trabalhos e atingem cargos de relevância nas empresas. No mundo digital não é diferente.

Lembre-se que o corpo fala e podem demonstrar desinteresse, imaturidade ou nervosismo tanto em uma reunião como em uma apresentação para um grande público. Devemos ter cuidado com algumas atitudes como gesticular nervosamente, torcer as mãos, cruzar os braços, morder os lábios, mexer no cabelo, segurar o queixo ou rosto, ficar sempre ligado no telefone celular, segurar as mãos nos bolsos, usar gírias, elogiar persistentemente ou excessivamente ou falar mal de outras pessoas. Essas atitudes podem prejudicar a sua imagem.

Ações bem elaboradas e planejadas podem gerar resultados incríveis.

É preciso ter em mente que as redes sociais imprimem a sua imagem em relação ao mercado. Desde de uma regra básica como um ‘bom dia” antes de você iniciar uma conversa no Whatsapp até a forma com que se alimenta seu feed de notícias com assuntos relacionados a você ou temas cotidianos.

As redes sociais imprimirão sua identidade através de sua imagem (Instagram), forma como pensa e se relaciona (Facebook) e como é o seu trabalho e relacionamento profissional (LinkedIn). Por isso, tome cuidado com as postagens, não escreva por impulso e “se beber, não poste”!!! 

O grande segredo para você se dar bem nas redes sociais e na vida pessoal é simples: seja gentil sem exageros, coerente, antenado, imprima uma imagem positiva nas redes e pratique isso na sua vida real. Lembre-se que a imagem nas redes caminha paralelamente à sua imagem real. Não seja um personagem fake em nenhuma das situações ou sua imagem entrará em conflito. Também, não cometa erros que não possam ser corrigidos nem esquecidos na mente da sua audiência.

O marketing pessoal possui um poder de fixação e lembrança muito grande na memória dos clientes. Se bem realizado, esse poder de fixação pode ser refletido em vendas de modo até mais potente que o marketing empresarial, pois o contato mais direto com o cliente cria maior aproximação e sensação de individualidade, gerando melhor posicionamento e agregando maior valor na mente das pessoas atendidas.

Quando meus clientes me perguntam e  como iniciar, vão aí algumas dicas que explico melhor no livro Marketing Digital para Celebridades, Influencers e Personalidade públicas

Pensando em tais direções que o marketing pessoal pode levar a sua imagem, elencaremos um passo a passo para a realização de um adequado Plano de Marketing Pessoal e Digital:

  1. Ter um objetivo claro sobre seus ideais e objetivos e o que eles irão trazer para os seguidores, clientes e a sociedade como um todo. Para isso, é preciso saber a missão, visão e valores que norteiam suas opiniões, decisões e ações do indivíduo.
  1. Criar um release de, no mínimo, 1 página com foto. Release é uma apresentação que mostra a história pessoal e profissional de uma pessoa através de uma narrativa que agregue valor aos seus pontos fortes e que tenha apelo para chamar a atenção do público destinado a lê-lo, como, por exemplo, a imprensa, parceiros, meio acadêmico e/ou futuros clientes. É interessante realçar assuntos que você se destaque e seja diferente de todo o mercado. Além disso, em muitos casos, é possível contratar profissionais qualificados para essa função, como designers, jornalistas e assessores de imprensa.
  1. É importante que você cuide de sua aparência e de sua imagem como organização de roupas (assessorias de moda e estilistas são uma opção), corte de cabelo, higiene pessoal e postura profissional. Quanto melhor sua estética, mais fácil de ser aceito pelo público. A aparência no marketing pessoal é como se fosse a embalagem de um produto ou a fachada e recepção de uma empresa. Quanto maior a percepção de qualidade, maior o engajamento e valorização por parte da audiência. Não esqueça de transmitir simpatia e alegria em sua comunicação, profissionais que transmitem apatia não transmitem boa reputação.
  1. Criação de identidade visual e conteúdo. O desenvolvimento de uma marca ou perfil comercial precisa envolver a contratação de profissionais capacitados em criação gráfica que deverá fazer um manual padrão personalizado de identidade com as características do profissional. É importante um material bem minimalista, onde o foco é a imagem da pessoa, identidade e prestação de serviços. Após essa linha de conceito aprovada, é preciso alinhar com essa linguagem as redes sociais, site, vídeos de apresentação, artigos e produza o máximo possível de conteúdo. O que os seus fãs ou clientes vão consumir é o que você passa de conteúdo em suas plataformas.
  1. Entender a necessidade de seu público- alvo e, com base nisso, criar conteúdos, artigos e serviços relevantes. 
  1. Realizar um ensaio fotográfico e gravar vídeos baseados na imagem  e nos serviços prestados. É recomendável contratar especialistas qualificados para a divulgação de materiais institucionais. Fotos e vídeos amadores não passam tanta credibilidade. Em caso de materiais rotineiros para alimentar as redes sociais como os stories do Instagram não há problema o amadorismo, mas é preciso tomar muito cuidado com o conteúdo postado.
  1. A criação de um site, é preciso registrar e hospedar um domínio para, na sequência, criar o conteúdo. Sem um site ou blog as pessoas não encontrarão facilmente os serviços prestados na maior rede de pesquisas do mundo que é o Google e as chances de obter sucesso no ambiente digital diminuem drasticamente. O padrão utilizado no mercado é um site responsível, ou seja, um site que altera o layout de acordo com o tamanho das telas de celulares e tablets, trazendo assim uma melhor experiência e visualização do usuário. Além disso, é preciso atentar-se para as reconhecidas práticas atuais para melhorar a performance e experiência do site como: URL amigável, SEO marketing, layout clean e moderno, integração com redes sociais, vídeos, imagens bem elaboradas, textos com palavras relacionadas ao negócio, investimento na versão mobile, facilidade de contato por telefone ou Whatsapp, cadastro de clientes para obter conteúdos exclusivos e aumentar a geração de lead e postar conteúdos atualizados para aumentar a relevância do nome nos buscadores.
  1. Criar material publicitário para divulgação online, tanto em site como em outras redes sociais. Esse material deve estar personalizado e qualificado para passar a melhor impressão de imagem e conteúdo para ter maiores chances de atrair o cliente.

Conteúdo a que trazem atenção, curiosidade e engajamento, dicas de assuntos relevantes com cuidados com especialidade do profissional, novidades, moda e entretenimento. Além disso, é importante possuir material offline, como cartão de visita, folder, material gráfico.

  1. Iniciar a propaganda pessoal em artigos para imprensa, redes sociais, eventos, redes de pesquisa, ciclo social e profissional. É importante, antes de divulgar os “@” e os sites, possuir uma quantidade mínima de trinta postagens para que quando o usuário acessar as redes saber que já há uma certa quantidade de conteúdo e seguidores engajados, aumentando a credibilidade da rede e do nome.
  1. Gerar conexão com o público. É preciso ser atencioso, carismático, mostrar empatia e preocupação com o bem-estar dos clientes.
  1. Estudar os concorrentes e entender a relevância do conteúdo oferecido, a procura e a credibilidade com o público. Quanto maior o valor percebido pelo ponto de vista dos clientes, maior o preço que pode ser cobrado de parcerias e serviços. Por exemplo, o comediante Whindersson Nunes pode cobrar um dos maiores valores do mercado pela sua presença Vip em um evento já que ele possui significativo destaque entre seus concorrentes e grande procura tanto pelos seguidores e fãs como por grandes parceiros profissionais como a empresa de telefonia Oi, rede de restaurantes Bob’s, Youtube, entre outros.
  2. Mensurar os resultados de receita com as ações investidas e custos para alavancar a sua imagem e perfis sociais. É preciso considerar todos os investimentos em marketing e avaliar cautelosamente a efetividade de cada ação. Os casos de investimentos de imagem e conteúdo institucional para agregar valor à imagem do profissional são considerados marketing pessoal, sendo preciso pensar mais indiretamente nos resultados com um olhar atento para a opinião das pessoas sobre o profissional e sobre o que ele transmite. Já nos casos de investimentos em propaganda, há a finalidade de gerar um retorno direto sobre o valor aplicado.