CEO de uma escola de idiomas dá 5 dicas para dar os primeiros passos rumo a fluência na língua inglesa

Rodrigo Bucollo também comenta por que o brasileiro ainda tem tanta dificuldade de falar inglês

O Google está aí para todos. Com uma pesquisa simples você encontrará uma infinidade de cursos e escolas que oferecem aulas para brasileiros que queiram falar Inglês. As promessas são as mais diversas, desde aprender Inglês em 7 dias até aprender dormindo. Mas, com toda está oferta, por que o brasileiro ainda está entre os piores países nos testes internacionais de Inglês e segundo pesquisas apenas 5% da população fala Inglês?

Rodrigo Bucollo, CEO e criador da metodologia aplicada na Best View Inglês – escola de ensino 100% online de Inglês, afirma que há alguns fatores fundamentais para tais dados.

Segundo Bucollo, é fundamental que em um primeiro momento as escolas e professores se preocupem com a produção oral do aluno na língua e não na escrita.

“Em 2020, eu ainda vejo alunos comentando que há escolas que focam totalmente na gramática durante os 3 primeiros livros e somente depois de 1 ano que o aluno consegue falar algo. Nós, da Best View, entendemos que o ponto principal para o sucesso de um aluno no idioma é a comunicação oral. Colocar o aluno para FALAR. Depois de um bom tempo, podemos explicar para este aluno que aquela palavra que está dizendo é um verbo ou um pronome. Mas é crime educacional colocar o aluno para preencher exercícios de pronomes para um aluno que não sabe pedir uma água em Inglês”, comenta Bucollo.

De acordo com Rodrigo, a formação e preparo dos professores estão totalmente ligadas à falta de produção do aluno no Idioma. Na educação básica (aquela regulamentada pelo MEC), a graduação em LETRAS é o que habilita o professor para dar aulas de Inglês, outro ponto muito criticado pelo professor Rodrigo Bucollo.

“Sou formado em Letras, é um absurdo o que ensinam na faculdade, os professores não possuem conhecimento do que é FALAR INGLÊS . São mestres em gramática. Salvo pouquíssimas exceções, infelizmente a graduação em Letras habilita o professor para dar aulas de Português, mas deixa muito a desejar quando falamos de ensino de INGLÊS”, afirmou.

O foco apenas na gramática e professores despreparados já seriam argumentos suficiente para justificar a falta de fluência no idioma. Colocar 20 alunos na mesma sala de aula com perfis e desejos no idioma diferentes, processos e ritmos  de aprendizagem diferentes seriam então os argumentos finais para tal.

Sobre estes pontos Rodrigo Bucollo comenta que há uma questão muito mais comercial do que pedagógica.

“Muitas escolas já entenderam e estão aplicando entrevistas mais profundas antes de colocar um aluno em uma turma. E isto já é um grande passo! Mas os coordenadores muitas vezes sofrem uma pressão para deixar as turmas sempre cheias. Na Best View,  as aulas são 100% particulares, seguimos uma linha pedagógica, mas o professor tem liberdade para adaptar a aula de acordo com os objetivos do aluno. É claro que não adianta o aluno querer fazer uma aula sobre engenharia espacial em Inglês se ele ainda não consegue fazer uma comunicação básica do dia dia. Mas é importante que os tópicos das aulas sejam mais interessantes e dentro do que o aluno gosta. Este é um ponto fundamental para nossa rematrícula ser sempre acima da média”, fundamenta.

Mas se a formação dos professores ainda deixa a desejar, se as escolas ainda focam na gramática e as aulas não são personalizadas. Resolvendo esses 3 problemas teremos um país 100% bilíngue?

E é aí que você que está lendo esta matéria entra em ação. E deve entrar mesmo. Aprender Inglês não pode ser uma brincadeira que não se leva a sério ou apenas uma forma de colocar no CV que está estudando. Como qualquer área da vida, aprender Inglês leva tempo e você vai ter que se dedicar muito.

Rodrigo Bucollo, que possui mais de 20 anos de sala de aula e empresas de educação, afirma que aprender Inglês depende muito mais do aluno do que da escola:

“Quantos cursos você já começou e seguiu 100% da proposta pedagógica?
Quantas vezes você deixou de estudar para fazer qualquer outra coisa?
EU já tive alunos em escolas que o livro de estudos estava totalmente em branco. Quer aprender desta forma? Impossível né! Quer aprender Inglês? É simples mas não é fácil!”

Há uma infinidade de motivos para você procurar uma escola de Inglês hoje.

Profissional:

• as melhores vagas são para quem fala Inglês.
• A chance de recolocação no mercado aumenta muito se você fala Inglês.
Educacional:
• Todos os grandes artigos são traduzidos e até escritos primeiramente em Inglês.
• Você pode estudar em praticamente todas as grandes universidades do mundo se você fala Inglês.

Ou apenas se você deseja conhecer outros países… assistir aquela série maravilhosa em ter que aguentar as terríveis dublagens…

Se ainda estamos distantes de ter um Brasil que fala Inglês fluente, Rodrigo Bucollo deixa 5 dicas fundamentais para darmos os primeiros passos:

1 – Dedique-se! Estude conforme a orientação pedagógica!

2 – Esqueça séries DUBLADAS! Se você é um aluno básico – coloque legenda
em Português, mas deixe o áudio sempre em INGLÊS.

3 – Ouça músicas em Inglês.

4 – Leia artigos e livros em Inglês.

5 – sempre que possível, converse em Inglês. Se você tem amigos da empresa que estão estudando. Crie um almoço semanal (mesmo que virtual) onde só se fala Inglês.

Para conhecer mais sobre Rodrigo Bucollo e a Best View Inglês, acesse www.bestviewingles.com