ACIC oferece programa de formação de gestores 100% online

 Com o objetivo de proporcionar uma visão global e imediata dos novos desafios impostos pela pandemia do coronavrus, a edição 2020 do “PFG” ganhou formato mais flexível e acessível a um maior número de pessoas em cargos de liderança, em especial àquelas que gerenciam negócios de pequeno e médio portes. Em menos de 50 dias de conteúdos, os participantes terão condições de aplicar no seu negócio tudo que aprenderam para a sobrevivência das empresas no “novo normal”.

POR: Ateliê da Notícia

Se, em “tempos normais”, 7% das pequenas empresas fecham por falta de lucro, 20% por falta de capital e quase 50% dos empresários não sabem se têm lucro ou prejuízo, conforme dados do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), no atual cenário, uma gestão eficiente torna-se ainda mais imprescindível para a sobrevivência dos negócios e a consequente manutenção dos empregos. A pandemia do coronavírus impôs mudanças drásticas no ambiente corporativo e obrigou os líderes a tomarem decisões rapidamente e a adotarem soluções inovadoras para manter a empresa no mercado.

Os desafios aumentam em se tratando de pequenos negócios nos quais, muitas vezes, o próprio dono executa diferentes funções dentro da empresa. Para ajudar essas pessoas, nesse momento de transição e incertezas, a Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) reformulou o seu Programa de Formação de Gestores, que passa a ser 100% online. A edição 2020 do PFG tem início em 7 de junho e segue até 27 de agosto. Informações e inscrições pelo site www.acicampinas.com.br, e-mail: atendimento@acicampinas.com.br e telefones: 19 2104-9200 e 19.99607-7604.

Sobre o PFG

Criado em 2013, o PFG já proporcionou cerca de 700 horas de conteúdos. Seu principal diferencial é a capacitação de profissionais e empreendedores de empresas de varejo e serviços, de forma objetiva e em curto espaço de tempo, em menos de dois meses. Com carga horária de 48 horas, dividida em cinco módulos e duas aulas semanais, com a interação de professores das principais escolas de negócios e universidades do país, a edição 2020 do PFG oferecerá aos alunos orientações sobre temas como liderança, engajamento de equipe, administração, finanças, marketing, vendas, habilidades interpessoais e inovação, para que eles  possam aplicar imediatamente no seu negócio tudo o que aprenderam.

A modalidade de trabalho em home office e as vendas online, que foram as opções para muitas empresas sobreviverem nesse período em que os comércios, de diferentes segmentos e portes, permaneceram fechados, geraram novos desafios para os gestores. Como motivar a equipe a distância e dimensionar produtividade? Quais as ferramentas acessíveis para uma gestão completa e mais eficiente, adequada a cada modelo de negócio? Como reduzir custos, manter o fluxo de caixa e controlar o estoque, estando fora do estabelecimento? Quais as estratégias de marketing de vendas a serem adotadas nesse momento em que os consumidores mudaram o seu hábito de consumo? Essas são algumas das dificuldades enfrentadas pelos empreendedores.

Necessidades

“Nos últimos meses, abordamos alguns dos temas do programa em artigos e lives gratuitas e abertas ao público. Por meio do canal ‘AcicComVocê’, criado no início da quarentena, foi possível sentir as principais ‘dores’ dos empreendedores. Entre 4 de março a 16 de junho deste ano registramos um aumento de 9% no número de interessados nos conteúdos do PFG, se comparado ao mesmo período de 2019.”, informa a presidente da ACIC, Adriana Flosi. De acordo com ela, boa parte dos interessados não possui uma graduação, são aqueles que empreendem ‘na raça’, mas há também pessoas de mais idade, que estudaram e acabaram por ficar muito tempo paradas e, agora, buscam se aperfeiçoar para dar conta das demandas no ‘novo normal’.

É o caso da empresária Edna Farias Alexandre, de 60 anos. Há 24 anos, ela e o marido resolveram empreender ‘na raça’, em uma empresa de varejo que também oferece serviços, a Via Filtros e Sistemas Filtrantes, em Campinas. Como muitos empresários, ela enfrentou dificuldades devido à pandemia e resolveu se qualificar para conhecer as tendências e os recursos disponíveis para buscar novos clientes e fortalecer a marca em seu mercado de atuação.

“Muitos dos produtos que usamos são importados e, com alta do dólar, nos deparamos com uma situação difícil porque não dá para repassar ao cliente. Nós obtivemos recurso junto à Caixa, por meio do Sebrae, no entanto, muitas empresas descobriram os canais de vendas online – recursos que já utilizamos – e essa facilidade do digital fez acirrar a concorrência. A nossa perspectiva é de que a concorrência triplique daqui para a frente. Então, mesmo não tendo registrado queda brusca nas vendas, em maio, nós queremos sair na frente para encontrar novas formas de captar e fidelizar clientes, bem como para nos sobressairmos no mercado”, diz Edna.

Ter somente o ensino médio não é empecilho para a empreendedora, que faz cursos de capacitação, inclusive vários da ACIC, sempre que pode. Além de responder pelo departamento financeiro da empresa, Edna atualmente faz a administração geral, já que sua filha, responsável por esta área, está em licença-maternidade. “Será a primeira vez que participarei do Programa de Formação de Gestores. O novo formato, online, facilitará o acesso, principalmente para quem, como eu, não tem muito tempo disponível e precisa manter-se atualizado.”, afirma Edna Farias Alexandre.

Inovação

“O efeito coronavírus escancarou a necessidade da implantação de uma cultura de inovação nas empresas. Não é preciso dominar as tecnologias, mas é preciso saber que várias delas podem ajudar a otimizar os processos da empresa. Os impactos causados pela pandemia aceleraram a adoção compulsória da tecnologia e da digitalização, como mostra um estudo da Deloitte. Antes da crise, 53% das empresas apresentavam preparação de infraestrutura para acesso remoto. Após a decretação da pandemia, 96% das empresas afirmaram que adotaram ou adotarão tecnologias e digitalização, no período de até 100 dias. Trinta e oito por cento das empresas contavam com preparação e infraestrutura de navegação para novos padrões de tráfego. Posteriormente, esse número subiu para 88%, em até 100 dias. Já quando o assunto é integração tecnológica e de sistemas com fornecedores, antes da pandemia a taxa era de 46% dos negócios e, depois, passou para 63%, também dentro do mesmo prazo de 100 dias.”, explica Adriana Flosi.

Para Adriana, da ACIC, fica claro que, nesse novo cenário, a tecnologia ocupa lugar de destaque, porém, o profissional do futuro – em especial o líder – será àquele capaz de adaptar-se e de ressignificar o seu negócio. “Um estudo do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) aponta que aproximadamente 600 mil micro e pequenas empresas fecharam as portas e 9 milhões de funcionários foram demitidos em razão dos efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. Nosso intuito, ao elaborar os conteúdos do Programa de Formação de Gestores 2020, é auxiliar os gestores a manterem a sua empresa durante e pós-pandemia, para que eles possam manter a geração de empregos e para não venham a fazer parte dessa triste estatística”, conclui a presidente da Associação.

Julho terá palestras e oportunidades para aumentar a rede de contatos

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) preparou nove atividades online para o mês de julho, destinados a proporcionar conteúdos práticos e imprescindíveis para os empreendedores enfrentarem a crise. Na programação há vídeo voltado ao desenvolvimento pessoal e lives com convidados, referências em suas respectivas áreas de atuação. As atrações são gratuitas e ocorrem sempre às 11h, com transmissão pela página da ACIC no Facebook e com mediação da presidente da entidade, Adriana Flosi.

Na agenda deste mês estarão também quatro encontros do programa AC Networking (dias 6, 13, 20 e 27). Com início às 8 horas, esses grupos online serão oportunidades para associados e convidados aumentarem a rede de contatos e prospectarem novos negócios. Para participar das atividades realizadas pela ACIC é necessário fazer a inscrição pelo site https://www.sympla.com.br/acicampinas.

O primeiro evento ‘Estratégias de vendas para faturar hoje’, será na sexta-feira, 3, com a participação de Caio Camargo, sócio-diretor da GS&UP, unidade de negócios do Grupo Gouvêa de Souza e considerado o melhor palestrante de varejo do Brasil. O especialista abordará as técnicas de vendas que geram resultados durante a pandemia, com dicas sobre como utilizar todos os recursos de uma empresa para aumentar as vendas, como utilizar a equipe para gerar resultados mesmo com as lojas fechadas, e maneiras de dar os primeiros passos para manter um relacionamento ativo com o cliente.

Na terça-feira, 7, o CEO da startup MarketUp, Carlos Azevedo apresentará a live ‘O futuro do varejo: digitalizando seu negócio com eficiência e rapidez’. O objetivo é desmitificar a transformação digital, algo que parece distante para muitos empreendedores. Azevedo mostrará como é possível atender principalmente os pequenos e médios negócios, com apoio de empresas que já possuem plataformas completas e que não exigem nenhum investimento.  Melhorar a gestão do estoque, o controle financeiro e criar um site de comércio eletrônico de maneira rápida, fácil e gratuita serão alguns dos assuntos debatidos.

Já a sexta-feira, 10, será destinada à apresentação do vídeo ‘A causa – Como converter suas emoções e Criar uma mente à prova de crise’, como parte da campanha ‘#ACICcomVoce’. O conteúdo é voltado a uma das ferramentas mais poderosas quando os assuntos são empreendedorismo, gestão, liderança e vendas – a mentalidade (mindset). Na segunda-feira, 20, a live será com o CEO da DWZ, consultor e conselheiro de marcas relevantes no mercado nacional, Tiago Mello. Especialista em varejo e em modelo de negócios inovadores, Mello falará sobre ‘Disrupção em tempos de pandemia’. Para encerrar a programação de julho, na quinta-feira, 23, será realizada uma live com conteúdo voltado à área contábil.